Segregatorum – Lemarchand’s Dominus (2020)

Esse ano o Metal nacional mais do que nunca vem nos mostrando a sua verdadeira força, surgindo assim inúmeras bandas no cenário, e aparecendo novos lançamentos com uma frequência absurda, algo que já é relativamente comum, porém não dessa maneira.Estamos em agosto, e até o presente momento já foram lançados centenas de registros por várias bandas, as mesmas estão dívidas por diversas regiões do país, e os materiais lançados são bem variados, contendo uma diversidade de estilos incrível, a começar pelo Hard Rock, passando por todas as vertentes do Metal no geral, desde o Heavy Metal tradicional até o Metal extremo, e incluindo também outras vertentes, porém que são ligadas ao Metal, tais elas como o Grindcore e o Goregrind por exemplo.

É óbvio que há determinados estados que os lançamentos das bandas respectivas bandas estão surgindo com uma frequência maior do que outros. Estados como, Minas Gerais, São Paulo, e Rio de Janeiro, é a prova clara disso, porém existem aquelas regiões do país que possuem uma infinidade de bandas fantásticas, tem um histórico fabuloso por conter vários grupos que são importantes no cenário do Heavy Metal, porém não é tão lembrado como deveria ser, vide o Rio Grande do Sul, estado esse que é um enorme celeiro de centenas de bandas fantásticas, inclusive algumas delas por exemplo são bem conhecidas pelos seus trabalhos espetaculares, tais elas como, Krisiun, Rebaelliun, Mausoleum, Leviaethan, e tantos outros nomes.

Em meio há centenas de bandas que estão ligadas ao Metal e são oriundas do Rio Grande do Sul, há aqueles grupos que são relativamente novos no cenário, isso porque começaram as suas atividades há pouco tempo, porém já lançaram alguns registros que são impecáveis em sua discografia,  que por sinal apesar de ainda serem pequenas, muita delas possuem muita qualidade, tanto sonora, quanto lírica, e obviamente as mesmas possuem muito potencial, além de várias já terem de certa forma criado as suas próprias identidades em suas respectivas músicas.

O que foi dito nestes três parágrafos acima se assemelham e ao mesmo tempo descrevem com clareza esta banda aqui, principalmente pelo fato da mesma ser do Rio Grande do Sul, estar na ativa há pouco tempo, ter lançado excelentes materiais desde o seu surgimento, ter lançado um ótimo álbum este ano, que no caso é esse aqui, e ainda assim, apesar do mesmo ter sido bem divulgado na época de seu lançamento, ainda há muitas pessoas que ainda não o comecem, algo que até entendo, porque é como eu falei lá em cima, há muito material que está sendo lançado, então infelizmente muitos destes trabalhos acabam passando despercebidos pelo público.

A banda a qual eu estou me referindo se chama “Segregatorum”, a mesma é oriunda do Rio Grande do Sul, foi formada em 2016, está ativa, e até o momento o grupo gaúcho lançou apenas três trabalhos em sua discografia, dentre eles estão, um ep lançado em 2017 sob o nome de “Death Bells”, um single lançado em 2019 sob o nome de “Nouished Wounds – (Elysium Part 1)”, e esse ano finalmente a banda lançou o seu tão almejado debut, que no caso é este aqui, carregando o nome de “Lemarchand’s Dominus”.O mesmo foi lançado através de alguns selos nacionais, dentre eles está o selo mineiro “Kaotic Records”, que inclusive é nosso parceiro, e foi o responsável por nos enviar este belo material.

O grupo gaúcho executa um tipo de som que não é tão comum de se ver por aí, o mesmo apostou em mescla de estilos bem interessante, que são os seguintes, Death/Doom/Groove Metal, e o resultado dessa mistura inusitada de gêneros ficou simplesmente perfeito, a sua sonoridade possui um belíssimo instrumental, ele é muito bem trabalhado, e ao decorrer do registro ocorre algumas mudanças de andamentos, oras está bastante rápido, que por sinal é o que prevalece a quase a todo o momento, porém há passagens em que o mesmo fica um pouco cadenciado, arrastado, e muito coeso também.Em relação as suas linhas de guitarras, as mesmas são fantásticas, elas possuem riffs bem elaborados, mas em contrapartida eles são bem ríspidos, agressivos, e totalmente viscerais.

A cozinha também faz um trabalho impecável, nela o ouvinte poderá perceber as nuances que ocorre ao decorrer de cada música do álbum, oras a mesma apresenta uma boa dose de agressividade, enquanto em outros momentos há um pouco de técnica,  dessa forma a sua sonoridade ficou bastante equilibrada e em momento algum se torna enjoativa ou maçante para quem estiver ouvindo.A linha do baixo por exemplo é incrível, nela há um timbre muito grave e tem um pouco de groove, porém aqui e acolá nota-se passagens harmônicas também, do outro lado na linha da bateria, a mesma alterna entre momentos mais rápidos e com muita agressividade, principalmente pelo uso de bumbos duplos, enquanto há pasagens que a mesma sofre um pequeno cadenciamento com partes mais coesas, por fim os vocais, o mesmo ocorre uma alternância entre um gutural mais aberto e muito bem executado, e ora ou outra há a presença de um vocal rasgado também.

Os principais temas abordados nas letras das músicas da banda são os seguintes, luxúria, tortura, pecados, purificação, e prazer, temáticas essas que não são tão comuns de vermos em bandas do estilo, porém são bem interessantes.Além da sua qualidade sonoridade e lírica, algo que me chamou bastante a atenção ao ouvir este material é que, as canções possuem uma atmosfera bem soturna, sombria, densa, e pesada, isso fica ainda mais nítido nas passagens que o instrumental dá uma certa cadenciada e então fica um pouco arrastado, sem falar das belíssimas melodias que estão presentes a todo instante, acompanhadas de solos magistrais e ao mesmo tempo contém um feeling impressionante.

Aos apreciadores de Death Metal, Doom Metal, ou até mesmo de Groove Metal, mas ainda não conhecem esta banda, eu recomendo que ouçam este álbum, provavelmente vocês irão gostar bastante.E para aquelas pessoas que se interessarem em adquirir o material físico, basta entrarem em contato com o selo mineiro, Kaotic Records, seja pela sua página no Instagram, ou se preferirem podem contactar a mesma através de sua página no facebook também, através do link abaixo:

https://www.facebook.com/kaoticrecordsbh/

Faixas:

1. Gli scultori di carni
2. Lemarchand’s Dominus
3. We Have Eternity to Know Your Flesh
4. Hex ov N’Guize
5. Purge ov the Carnal Sins Through Transcendental Tortures
6. Nemecic Inferi
7. More than Eyes Can See
8. Nourished Wounds (Elysium Part 1)
9. Initium Dolorum
10. Threnody

Formação:

Lucas Carbonera – (baixo)
Carlos A. Costa – (bateria)
Cabelo – (guitarra)
Lucas Lazzarotto – (vocal)
Christian Gedoz – (guitarra)

Redigido Por Marconi Silva.

9 comentários sobre “Segregatorum – Lemarchand’s Dominus (2020)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s